ProteÇÃo solar dos edifícios; Meios de sombreamento

As estratégias de climatização natural assentam largamente em estratégias de sombreamento dos edifícios. Bons níveis de sombreamento e ventilação natural podem dispensar o uso de ar condicionado, ou reduzir o seu uso a níveis mínimos, mesmo em climas muito quentes.

É por isso fundamental que as janelas mas também as paredes e os tetos beneficiem o mais possível de sombra. E que as áreas exteriores ao edifício beneficiem também elas, sempre que possível, de sombra; é algo que permite baixar em vários graus centígrados as temperaturas exteriores e, consequentemente, as interiores.

Para tal há que equacionar questões como a orientação solar do edifício, a sua configuração e questões arquitetónicas como lajes, beirais e varandas, ou o posicionamento das janelas e o seu tamanho…

Mas há também que recorrer a meios que facultem sombra ou contribuam para baixar as temperaturas exteriores: arbustos, árvores, relva… E obviamente sistemas de proteção solar como portadas, persianas, venezianas, toldos, pérgulas, estores, cortinas…

Arbustos, Árvores, relva

Arbustos, árvores e relva em redor do edifício são um importante fator de amenização de temperaturas.

O sombreamento do edifício e dos seus espaços envolventes por via de plantas podem baixar as temperaturas exteriores – e consequentemente as interiores ao edifício – em vários graus centígrados.

Ver: Envolventes do edifício, plantas e sombreamento

Cortinas, estores, persianas, toldos, portadas, pérgulas

Não minimize a importância de estruturas de sombreamento interno e externo às janelas, clarabóias, ou outras partes da casa.

O nosso conforto térmico e as faturas energéticas ligadas à climatização podem depender fortemente de elementos como toldos, pérgulas, estores ou persianas e portadas.

Mas atenção. A eficácia destas estruturas pode variar bastante. Questões como os materiais ou as cores, ou a sua colocação interior ou exterior, ou outros detalhes, podem ser altamente relevantes para a sua eficácia térmica.

Ver:
Cortinas e estores
Persianas, toldos, pérgulas
Venezianas, portadas
Isolamento de caixas de estores

Varandas, Abas, beirais

A forma como o edifício está desenhado em termos de fachadas, varandas, beirais ou palas tem obviamente uma importância extrema em termos de proteção solar (ou de ganhos solares). Os arquitetos devem-no ter em conta. São elementos cruciais a nível da proteção solar do edifício.

Ver: Varandas, abas, palas, beirais

Orientação solar do edifício

Os edifícios devem estar protegidos do sol de verão, tanto quanto possível.

Para tanto, as suas fachadas principais, e as suas divisões mais usadas, devem ser posicionadas tendo em conta a posição do sol ao longo do ano e, evidentemente, as características do clima e as possíveis necessidades de aquecimento durante o período frio.

Ver: Orientação solar e configuração do edifício

Posicionamento das janelas e seu tamanho

As janelas são a principal fonte de calor solar. O seu sombreamento é essencial, e não basta considerar persianas, portadas, toldos ou outros meios de proteção, em tempo quente.

É importante que – a nível de nova construção - o seu posicionamento e o seu tamanho seja cuidadosamente considerado.

Ver: Janelas: tamanho e posicionamento

 

 

 

Topo .... Inicio