VentilaÇÃo natural de casas e outros edifícios

A ventilação natural – através de janelas ou outras aberturas – é utilizada para trazer ar fresco no exterior do edifício e para remover o ar quente a nível do interior desses mesmos edifícios.

A ventilação natural pode usar brisas ou simplesmente o ar mais fresco de certas partes do dia (noite), ou o ar mais fresco associado a zonas de sombra ou à presença de água em recintos como tanques ou piscinas.

A ventilação natural é, conjuntamente com as estratégias de sombreamento, um dos pilares da climatização natural dos edifícios – por oposição ao uso do ar condicionado.

Ventilação cruzada

A ventilação cruzada envolve janelas e aberturas em fachadas opostas do edifício.

O ar mais fresco ou as brisas entram no lado do edifício onde essas brisas ou ar fresco existe, o que provoca a saída do ar quente pelas janelas e aberturas no lado oposto.

Ventilação cruzadaEsta estratégia pode ser usada em edifícios com mais de um piso, beneficiando da tendência do ar quente para subir. Neste caso há que abrir janelas ou outras aberturas no piso interior (no lado do edifício onde as brisas estão a soprar ou onde existe ar fresco). Isso incrementará a subida do ar quente para o piso superior, onde tenderá a sair pelas aberturas no lado oposto do edifício (segunda imagem).

Ventilação cruzada edifícios dois pisosEstas estratégias podem ser associadas a ventiladores/ventoinhas, nomeadamente ventiladores de janela, colocados em pontos estratégicos, de modo a incrementar a intensidade da ventilação (ver Ventiladores de Janela).

Orientação do edifício e reorientação de brisas

A ventilação natural requere uma orientação favorável do edifício em função das brisas dominantes e da captação de ar fresco.

É algo que pode ser muito importante, sobretudo em climas quentes. Há de qualquer modo alguns procedimentos básicos que podem ser usados para captar brisas.

Ver: Brisas e ventilação natural

Captando ar fresco subterrâneo através de Tubagem enterrada no Solo

A ideia é simples: uma vez que no verão e em climas quentes as temperaturas do solo são muito mais baixas do que as temperaturas atmosféricas, por que não fazer circular ar atmosférico em tubos enterrados no solo, de modo a que o ar que neles entra arrefeça e possa depois ser usado na climatização de edifícios?

A figura ao lado esquematiza o modo como este sistema pode ser desenhado. Note-se a presença de um ventilador/ventoinha, no piso inferior do edifício, para puxar o ar fresco para o interior da casa.

A implementação deste sistema envolve detalhes importantes, sem os quais ele não funciona: as zonas de entrada de ar atmosférico para os tubos terão que ser adequadamente protegidas e localizadas em zonas de sombra; os tubos terão que ser enterrados a uma profundidade conveniente e feitos de materiais com excelente condutividade térmica, de modo a que o ar (que à partida já é mais fresco do que ar ambiente) possa ficar ainda mais fresco; o solo terá que ter temperaturas adequadas, suficientemente baixas, e não colocar problemas de drenagem…

Chaminé solarUso de chaminés solares

Uma chaminé solar é uma estrutura estreita no topo de um edifício, exposta ao sol, usando vidros e materiais capazes de absorver calor solar, de modo a gerar altas temperaturas no seu interior.

O ar quente a nível da chaminé (que em alguns pontos chave do edifício está em contacto com o ar ambiente desse mesmo edifício) acaba por criar fortes correntes ascendentes, capazes de puxar o ar interior para fora do edifício, o que por seu turno obriga à entrada de ar mais fresco (caso ele exista) a nível de janelas ou outras aberturas situadas nas partes mais baixas do edifício.

Notas:
- O mecanismo descrito acima pode ser invertido em tempo frio, em climas moderados ou frios, para efeitos de aquecimento do edifício.
- Estufas ou estruturas similares conexas a casas ou outros edifícios podem usar o mesmo mecanismo e os mesmos princípios das chaminés solares. Para pormenores técnicos ver: Advanced Cooling Architectural Solutions for Hot Climates e Arizona Solar Center Cooling Strategies.

Turbina de ventoUso de turbinas de vento

As novas turbina de vento são baratas, embora semelhantes nos seus princípios de funcionamento a unidades com origens milenares. Elas são usadas sobretudo em climas quentes e secos, com ventos ou brisas regulares.

As turbinas de vento são instaladas no topo de telhados, onde as suas hélices são acionadas pelo vento de modo a trazerem o ar quente do interior dos edifícios para o seu exterior (induzindo a entrada de ar mais fresco através de janelas ou outras aberturas no edifício).

As novas unidades (tipicamente feitas de alumínio) são extremamente resistentes à chuva e outros elementos, não enferrujam e requerem pouca ou nenhuma manutenção.

Embora baratas, duráveis e fáceis de instalar, a sua eficácia está muito dependente da intensidade do vento e das brisas. Não é apenas no quadro de ausência de brisas fortes ou vento que elas são ineficazes. Elas podem também provocar uma ventilação excessiva em caso de ventos fortes.

 

 

 

Top or Home PageConteúdo relacionado
Contents Topo .... Inicio