Guia dA IluminaÇÃO eficiente em casas, escolas e outros edifícios

A iluminação das nossas casas e edifícios envolve uma fatia significativa dos nossos gastos energéticos. Os custos da iluminação residencial oscilam entre valores da ordem dos 9-10% (Portugal ou Estados Unidos) e 15% ou mais (14%, no caso do Brasil).

Estes custos sobem para valores da ordem dos 25%-40% a nível de lojas, escritórios, escolas e outros edifícios.

Impacto ambiental da iluminação de edifícios

Por outro lado, a estes gastos associam-se biliões de toneladas de gases de estufa. A eletricidade que produzimos não é tão limpa quanto por vezes se julga.

Mesmo em países como o Brasil ou Portugal, onde a maioria da eletricidade provém de fontes renováveis, há uma parte significativa da eletricidade que tem origem em centrais funcionando com energia fóssil, a que corresponde a emissão de enormes quantidades de CO2 e outros gases de estufa.

Infográficos:
Iluminação de edifícios e centrais atómicas
Os custos escondidos da energia de origem fóssil
Vale a pena substituir antigas lâmpadas fluorescentes por LEDs e fluorescentes compactas?
Como reduzir a fatura elétrica e e as emissões de gases de estufa

Há pois toda a vantagem – sob o ponto de vista ambiental mas também sob o ponto de vista dos nossos orçamentos – em reduzir os gastos com iluminação. O que não é tão difícil quanto por vezes se julga.

O uso das novas lâmpadas economizadoras, e o uso de sensores de presença (detores de movimento), células fotoelétricas, interruptores horários programáveis e redutores de fluxo luminoso, podem baixar fortemente os gastos em iluminação e o seu impacto ambiental.

Mas há outras vias a considerar, envolvendo estratégias de gestão de luz (de modo a reduzir os inúmeros casos de excesso de iluminação e de desperdício) e de iluminação natural.

Lâmpadas economizadorasLâmpadas de baixo consumo energético: poupanças de cerca de 75%

A forma mais fácil e imediata de reduzir os gastos de iluminação passa pela adoção das novas lâmpadas economizadoras – CFL (fluorescentes compactas) e LEDs.

As poupanças de energia proporcionadas por estas lâmpadas (comparativamente as lâmpadas incandescentes tradicionais) pode chegar aos 75%.

As lâmpadas do tipo halogéneo apenas proporcionam economias da ordem dos 25%, relativamente às lâmpadas tradicionais, e só fazem sentido em lugares onde estão ligadas por curtos períodos de tempo (digamos, 15-20 minutos por dia, em média).

De outro modo, são uma má opção, embora sejam muito baratas.

iluminação, lâmpadas e ambiente

Ver:
Lâmpadas economizadoras: LEDs vs. Fluorescentes Compactas e Halogéneas
Infográficos

A iluminação é medida em Lumens, não em Watts

A energia gasta pelas novas lâmpadas é medida em Watts; para conhecer a capacidade de iluminação das novas lâmpadas, há que usar outra medida: Lumens.

Se quiser comprar uma lâmpada Fluorescente Compacta (CFL) ou LED, com a capacidade de uma lâmpada incandescente tradicional de 60 watts, considere uma lâmpada com 800 Lumens.

Ver:
Medir a capacidade das lâmpadas: Lumens em vez de Watts

Excesso de iluminaçãoDesperdício de luz e excesso de iluminação

É, infelizmente, um problema muito maior e muito mais generalizado do que por vezes se pensa.

Os desperdícios de luz devidos a excesso de iluminação e a luzes que permanecem ligadas sem necessidade são enormes – tanto a nível de habitações como de escolas, escritórios, lojas e outros edifícios.

A existência de pontos de luz emitindo excesso de iluminação é também um problema muito comum.

Iluminação tarefaUso de iluminação localizada e de tarefa

Considere alternativas aos sistemas de iluminação geral (abrangendo as divisões no seu todo).

Formas de iluminação localizada e em função de tarefas específicas – luzes para ler, luzes para balcões de cozinhas… - são uma importante via de economia de eletricidade, e podem proporcionar maior conforto e eficácia luminosa.

candeeiros eficientesEficiência energética dos candeeiros e outros pontos de luz

Tenha em atenção a eficiência dos pontos de luz. Muitos candeeiros, abajures e outros sistemas de iluminação são ineficientes energeticamente, mesmo quando aceitam as novas lâmpadas economizadoras.

Procure unidades desenhadas para trabalharem com lâmpadas energeticamente eficientes, com funcionalidades como redução e regulação da intensidade de luz. É importante, para reduzir gastos.

redutor intensidade luzTecnologias de gestão de gastos de eletricidade

1) Sensores de presença, 2) redutores do caudal de luz e 3) interruptores de luz automáticos ou programáveis são elementos essenciais de redução dos gastos elétricos em edifícios não residenciais como escolas, escritórios e lojas, ou no exterior de edifícios.

Mas podem também ser muito úteis em moradias ou mesmo em apartamentos.

Ver:
Redutores de caudal de luz e poupanças elétricas
Sensores e interruptores automáticos e programados da iluminação

Iluminação exterior

A iluminação exterior de edifícios e moradias pode envolver gastos muito substanciais de energia.

Tenha em conta que mais luz não é sinónimo de mais segurança, no caso de iluminação de pátios e outras zonas exteriores de edifícios residenciais. Atenção ao excesso de iluminação é à poluição luminosa.

Ver:
Iluminação do exterior de edifícios
Sistemas de iluminação noturna de baixa voltagem vs. lâmpadas solares

Tenha também em atenção que a iluminação de baixa voltagem (em exteriores) não significa iluminação de baixo consumo.

Iluminação com lâmpadas solares

Pontos de luz solar – baseados em lâmpadas solares – podem ser uma boa opção de iluminação externa de pátios e de zonas exteriores de edifícios. Mas cuidado. A maior parte das opções oferecidas pelo mercado e à venda nas grandes superfícies são de baixa qualidade e basicamente inúteis.

As opções verdadeiramente válidas usam pequenas lâmpadas LED, têm um pequeno painel solar e uma bateria recarregável (Ni-Cd).

Estratégias de iluminação natural

Janelas bem posicionadas, claraboias e paredes interiores de cores claras, podem proporcionar economias de eletricidade significativas, a nível da iluminação. Infelizmente, as janelas e as claraboias podem ser também uma fonte de desperdícios de energia e de desconforto e efeitos nocivos.

Cuidado com excesso de envidraçados. Os efeitos térmicos negativos (em termos de ganhos e perdas indesejadas de calor) ou os efeitos do excesso de iluminação podem superar largamente os possíveis ganhos a nível da iluminação.

Ver:
Níveis de iluminação
Tamanho das janelas
Guia Claraboias

 

 

 

Topo